Comunicação entre o profissional da nutrição e o paciente com surdez

Resumo

Inclusão social no atendimento aos portadores de necessidades especiais é um fator necessário para um serviço de qualidade e entender o relacionamento entre o paciente surdo e o profissional de saúde torna-se essencial. O presente trabalho objetivou-se avaliar a qualidade da comunicação entre o profissional nutricionista e paciente com surdez, através de estudo transversal descritivo quali-quantitativa, realizado em três hospitais da cidade de São Luís–MA, com 40 pessoas portadoras de surdez e 20 nutricionistas. Foram utilizados questionários semiestruturados e os dados coletados tabulados no Programa Microsoft Excel. Foi visto que, 55,6% dos nutricionistas já tiveram contato com paciente surdo no local de trabalho, a maioria (22,2%) declarou atender através de um intérprete, a minoria (5,6%) através da língua portuguesa e nenhum através da LIBRAS. Os nutricionistas (83,3%) admitiram não estarem aptos a atender pessoas com surdez, já as pessoas com surdez, todos já receberam atendimento nutricional e a maioria (33,3%) através da língua portuguesa escrita, gestos e mímicas, a minoria (13,3%) através da língua portuguesa escrita e nenhum que soubesse LIBRAS. Com isso, foi possível observar a dificuldade dos nutricionistas na comunicação com as pessoas com surdez, devido a falha comunicativa, devido ao não conhecimento em LIBRAS.

Biografia do Autor

Larissa Rayane Sousa Sousa, Universidade Ceuma

Nutricionista pela Universidade Ceuma.

Naylanne Lima de Sousa, Universidade Ceuma

Nutricionista pela Universidade Ceuma.

Luciana Pereira Pinto Dias, Universidade Ceuma

Nutricionista. Mestra em Saúde do Adulto e da Criança pela Universidade Federal do Maranhão – UFMA.

Lívia Muritiba Pereira de Lima Coimbra, Universidade Ceuma

Nutricionista. Mestra em Ciência e Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE.

Publicado
2021-07-05
Seção
Artigos