Tratamento da Esclerose Múltipla com Equoterapia: uma revisão integrativa de literatura

  • Jonatan Jean vilhaba unirg- universidade de Gurupi

Resumo

Introdução: A esclerose múltipla (EM) é uma doença neurodegenerativa progressiva cuja abordagem terapêutica possui grande enfoque em retardar as incapacidades cumulativas, especialmente em equilíbrio e marcha. Objetivos: Demonstrar a importância da equoterapia como terapia complementar no tratamento da esclerose múltipla por meio de uma revisão integrativa da literatura já existente sobre o tema. Resultados e Discussão: Treze estudos foram incluídos para análise, sendo 4 revisões de literatura e 9 estudos experimentais. Observou-se que a maioria dos estudos possui baixa qualidade metodológica. A equoterapia mostrou-se capaz de melhorar ou manter, ao longo do tempo, os índices de equilíbrio. Teve ainda impacto positivo na marcha, no equilíbrio dinâmico e na qualidade de vida. Todos os estudos e revisões analisadas reafirmaram unanimemente as melhorias da equoterapia na percepção de fadiga. Conclusão: A terapia assistida por cavalos se demonstrou uma importante terapia complementar no projeto de reabilitação dos pacientes com Esclerose Múltipla. Naqueles parâmetros em que houve heterogeneidade de achados, mais estudos são necessários, especialmente com boa qualidade metodológica.

 

Publicado
2022-04-08
Como Citar
vilhabaJ. J. (2022). Tratamento da Esclerose Múltipla com Equoterapia: uma revisão integrativa de literatura. REVISTA CEREUS, 14(1), 153-168. Recuperado de http://www.ojs.unirg.edu.br/index.php/1/article/view/3654
Seção
Artigos