Nascidos vivos: perfil dos nascimentos ocorridos em Araguaína, no estado do Tocantins de 2015 a 2019

  • Maria Eugênia Caires Santos UNITPAC
  • Isadora Munaretto Reolon
  • Daiene Isabel Da Silva Lopes
  • Durval Nolasco das Neves Neto

Resumo

O objetivo do artigo é analisar retrospectivamente as condições dos nascidos vivos em Araguaína, estado do Tocantins por um período de cinco anos (2015 a 2019). A analise se guiou nos dados fornecidos no Datasus sobre os nascidos vivos na cidade correlacionando com a literatura, o estudo evidenciou condições de 15823 nascidos vivos no período e analisou as condições por meio de gráficos e tabelas. Por meio da análise desses indicadores foi visto que a maioria das gestações ocorreu entre 20-24 anos e que 17% das gestações ocorreram na adolescência, antes dos 19 anos. Além disso, no período 61% dos partos foram cesáreos. Foi visto, ainda, que na maioria das gestações foi realizado o pré-natal, mas 23% das gestantes não tiveram um pré-natal adequado. Sendo assim é evidente a melhora da assistência à saúde no estado, mas ainda é necessário aprimorar o atendimento em saúde pública, para que tanto parturientes quanto recém-nascidos tenham melhor assistência ao parto bem como as possíveis intercorrências que envolvem o pré e pós-parto, garantindo um maior amparo à saúde dos mesmos.

Publicado
2022-10-19
Como Citar
Caires SantosM. E., Munaretto ReolonI., Da Silva LopesD. I., & Nolasco das Neves NetoD. (2022). Nascidos vivos: perfil dos nascimentos ocorridos em Araguaína, no estado do Tocantins de 2015 a 2019. REVISTA CEREUS, 14(3), 95-107. Recuperado de http://www.ojs.unirg.edu.br/index.php/1/article/view/3830
Seção
Artigos